Poesia

Cada qual em seu lugar

Martin Johnson Heade. Blue Morpho Butterfly (1864)

Por mais que eu cante
Não me vêm as borboletas
Inda que’u grite
Não me responde a lua
Deve estar cheia… cheia de mim

Pr’onde vão as borboletas
Quando fogem de mim?
Seja lá onde for
Rejeitam meu canto
E cá estou em meu canto

Poesia

É sempre meia noite por aí

GOGH, Vincent van. Starry Night over the Rhône (1888)

Por aqui é meia-noite
Mas é meio-dia na lua
Pobres lunáticos, não têm uma sombra de árvore pra descansar.
Talvez por isso repousem nas trevas.