Música, Poesia

Monologando co’a morte

GOYA Y LUCIENTES, Francisco de. Saturn Devouring One of his Children (1819-23)

Te vi em meu olhar

Num reflexo
De águas tranquilas

Este chão já foi o meu leito
Certo estou que ainda será
Outrora acima
Depois não sei

Me vi em teu olhar
No escuro
De u’a noite em guerra

Ah, veio a noite
Mas clara…
Denota que em trevas
Virá o dia

Que demore a voltar
Pois não te espero
O que quero já foi me dado
Eis-me aqui, em vida
Oh morte, eis-me aqui
Em vida.

Anderson C. Sandes — Agosto de 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *